Frete grátis para compras acima de R$120 para sudeste e R$299 para todo o Brasil!

Café Descafeinado – Tudo o que você precisa saber!

16/10/2021

INTRODUÇÃO

Claudinho sem Buchecha, futebol em bola, café sem cafeína… Cabia na música, não cabia? Mais ou menos, porque na verdade existe sim, e é dele que vamos falar hoje: tudo que você deveria saber sobre o café descafeinado!

Primeiramente, a cafeína é um composto químico natural e estimulante, encontrado na composição alguns alimentos como, chás, refrigerantes, chocolates, no café, etc. Em contrapartida, no café descafeinado, assim como o próprio nome já diz, tem uma certa redução desse composto. Acredita-se que apesar de parecer que não há nenhum resquício da substância, na verdade ele possui 3% de cafeína em sua composição. Será que é verdade?

Muitos cafezeiros pelo mundo preferem apreciar seu café sem cafeína, outros acreditam não fazer sentido. Então, resolvemos colocar os pingos nos i’s e o café na xícara para você conseguir entender mais a diferença do café descafeinado do tradicional.

Quer saber mais sobre como é removida a cafeína do seu café ou de quem foi essa ideia; qual melhor café descafeinado do mercado e, caso não tenha tido essa experiência ainda, por que tomar café descafeinado? Esse é seu momento!

Quem descobriu o café descafeinado?

quem fez esse divórcio

Antes de tudo, essa ideia surgiu através do químico Alemão: Friedlieb Ferdinand Runge. Teve dificuldades para pronunciar este nome, né? Não se preocupe, clique aqui para ouvir! Então, se liga nesta história:

Certa vez, o poeta Johann Wolfgang Von Goethe, ganhou algumas sementes de café e às deu para seu amigo cientista. Foi quando Friedlieb Ferdinand Runge, em seus experimentos, conseguiu isolar a substância cafeína do grão de café. A partir daí, começou um trabalho de estudos e testes até que pudesse se tornar um produto.

A história do café descafeinado
Medindo o nível de acidez do café
Medindo o nível de acidez do café

Por que tomar café descafeinado?

para pessoas que não toleram ficar sem café

Mas afinal, quando tomar café sem cafeína? Será que perde a graça ou o sentido da bebida? O que acontece com o café, quimicamente falando? Veja bem, existem pessoas que, por necessidade, não podem ingerir cafeína por algum tipo de intolerância ou por prejudicar em alguma ação do seu organismo. Nesse sentido, o café descafeinado é uma ótima opção.

De acordo com alguns dados que coletamos, 1 xícara de café tem aproximadamente 85mg de cafeína. Existe um cálculo que mostra quanta cafeína é seguro ingerir usando como base o sua massa corporal. Por exemplo: uma pessoa de aproximadamente 75kg pode consumir até 5 xícaras de café coado por dia, ou seja, 6mg de cafeína por quilo. Lembrando que esse calculo não é válido para o café espresso, visto que ele tem uma forma de extração diferente e pode alterar consideravelmente o volume de cafeína da bebida.

Esses números são baseados em uma pesquisa feita no site “Minha Saúde“. Porém, o ideal mesmo é que você procure seu médico e explique seu consumo diário de café. Assim, ele te orientará melhor, afinal, cada organismo reage de uma forma e o médico poderá apontar de forma mais exata suas limitações em relação à cafeína.

Tudo em excesso faz mal! Inclusive, a cafeína quando consumida em excesso pode trazer algumas complicações para o seu organismo. Alguns sintomas comuns desse consumo exagerado são: suor excessivo, ansiedade, insônia, tremores musculares, aceleração cardíaca, etc. Portanto, o café descafeinado pode te proporcionar o prazer da apreciação da bebida sem esses “efeitos colaterais“.  

Como é removida a cafeína do café?

entenda como acontece

A primeira forma de remoção da cafeína dos grãos de café aconteceu no ano de 1903, quando o alemão Ludwig Roselius, chefe de uma empresa de café, estava fazendo um transporte de uma carga pelo oceano. Por acidente, a embarcação teve um problema de infiltração de água e os cafés tiveram contato com a água do mar por um longo período da viagem.

Em outras palavras, esse acidente provocou uma reação na composição do café. A cafeína acabou se desprendendo dos grãos e, quando ele foi fazer a análise sensorial, notou que o café havia perdido certo percentual de sabor e não reagia mais em seu organismo devido à ausência da substância. Interessante, né?

Depois disso, a segunda forma conhecida de remover a cafeína dos grãos de café surgiu da ideia de utilizar alguns solventes químicos. Nesse sentido, um dos solventes mais conhecidos é o benzo. Inclusive, ele tem o mesmo princípio de um produto que você já deve ter visto no mercado: a benzina (um solvente muito forte, utilizado para remover tintas automotivas). Só que aí mora um grande problema!

Imagine só o que um solvente capaz de tirar a tinta de um carro pode causar dentro do seu organismo. Assustador não é? Acredite, por muito tempo a indústria de café descafeinado usou esse solvente para fazer a extração da cafeína.

Em outras palavras, basicamente este processo de aplicação do solvente é feito colocando o café de molho em água, com a temperatura um pouco mais alta para que todos os compostos de sabor, inclusive a cafeína, se desprenda dos grãos. Em seguida, é adicionado o solvente para que ele comece a agir na água para “matar a cafeína“. Feito isso, a água passa por um processo de secagem junto aos grãos para que ele absorva novamente um pouco dos ácidos clorogênicos de sabor do café que ainda existem ali.

Como resultado o café passa a não ter mais o mesmo gosto, além do malefício dessa interferência do solvente químico. Atualmente, ainda é utilizado o processo químico, porém, substituíram o solvente benzo por solventes naturais como, por exemplo, o acetato de etila.

Uma outra maneira de retirar a cafeína do café, é pouco conhecida por ter o custo mais elevado. Para você entender melhor, os grãos de café cru são colocados em um tambor de inox, juntamente com água em alta temperatura. Este tambor será tampado e receberá injeções de gás carbônico até atingir a pressão de 1000 libras (unidade de medida para medir a pressão).

Neste caso, o gás carbônico tem a função de atrair a molécula da cafeína. Depois que isso acontece, é retirada a pressão do tambor e feita a separação da água, que passa por uma filtragem. Em seguida, a água é devolvida aos grãos de café e, só assim, passa pelo processo de secagem e torra.

No entanto, uma das maneiras mais sustentáveis e proporciona o melhor resultado da bebida hoje em dia, não é baseado em processos químicos perigosos para saúde nem se utiliza o CO². Quer saber como acontece?

O café cru é colocado em um tanque com água, aonde a temperatura se eleva até que os compostos químicos naturais da fruta se desprendam do grão. Quando isso acontece, o café que já está “sem a cafeína” é separado dessa água e levado para outro tanque.

Então, a água passa por uma série de filtragens. Geralmente, é utilizado o filtro de carvão ativado que tem a capacidade de absorção da cafeína. O interessante é que conforme acontecem essas filtragens, é feita uma medição para averiguar se a cafeína realmente está sendo eliminada.

Feito isso, a água que ainda está saturada das outras características sensoriais é devolvida para o café. Novamente, as matérias são submetidas à alta temperatura para que os grãos fiquem vulneráveis para receber os compostos de sabores que ainda estão na água. Em seguida, o café passa por etapa de pressão para incorporar bem esses compostos. Por fim, é levado para uma esteira de secagem, é ensacado e depois torrado.

Atualmente, é conhecido dois processos de extração da cafeína que são bem parecidos: o Swiss Water Decafe e o Mountain Water Decafe. O Swiss Water Decafe, método que explicamos como acontece anteriormente, começou ser estudado em 1930 e só foi comercializado em 1979, ou seja, foi um longo período de maturação e entendimento do processo físico-químico do método antes de aplica-lo oficialmente e oferecê-lo a indústria de cafés. Saiba mais sobre o processo!

Já o Mountain Water Decafe é o processo que utilizamos na Unique. Ele tem o sistema bem parecido com o Swiss Water Decafe e é feito no México. A diferença é que além do carvão ativado, a filtragem também passa por alguns outros processos de filtragem. Veja como acontece esse processo:

Como é feito a retirada da cafeína do café

Onde comprar café descafeinado de qualidade

pode até ficar sem cafeína, mas que não falte café

Em nossa cafeteria temos o Café Descafeinado na variedade Bourbon Amarelo. Ele passa por um processo natural da retirada da cafeína e, por uma questão sensorial de entender a qualidade do processo, nós optamos pelo método Mountain Water Decafe. Portanto, nós enviamos o café para o México aonde é aplicado este processo, depois disso, é devolvido para nós aqui no Brasil e então, torramos.

Além disso, é importante você saber que os estudiosos, químicos que fiscalizam os cafés descafeinados pelo mundo, dizem que o café, normalmente, fica com um percentual baixíssimo de cafeína, ou seja, é extraído por volta de 97% do composto. Em contrapartida, a empresa Mountain Water Decafe, traz a confiança e aponta que nesse processo é feita a retirada de 99,9% da cafeína, garantindo a segurança para você consumidor.

Finalmente, apesar desse processo que o café passa, vale ressaltar que este ainda assim, ele foi selecionado antes, ou seja, existe um controle de qualidade, ele é um café especial. O processo de retirada da cafeína, não interfere na qualidade especial do produto!

Curiosidade: existem alguns órgãos que estudam o café à anos. Nesse sentido, alguns cientistas já estão modificando a semente do café geneticamente. Assim, ela ira germinar a árvore e entregar um café sem cafeína. Chega ser inacreditável, né? Enquanto você pensa nisso, que tal aproveitar esse cafezão descafeinado disponível pra você:

Descafeinado

Produzido para aqueles que possuem sensibilidade à cafeína, o Descafeinado tem amargor reduzido e notas de cacau. De aroma suave e baixa acidez, a especialidade deste café está no processo que elimina a cafeína com água e sem produtos químicos (Swiss Water Process).

MAIS CONTEÚDO

O que é Blend de café?

O que é Blend de café?

INTRODUÇÃOJá ouviu falar de blend de café? Sabe de fato o que significa e como pode ser produzido? Então, fica "blendiboa" que você vai desvendar esse mistério do mercado de cafés especiais. O nome pode até parecer complicado e gerar muita confusão para alguns...

Inimigos do café – 7 erros que você já cometeu

Inimigos do café – 7 erros que você já cometeu

INTRODUÇÃOAh... Nada como a força do hábito para nos fazer errar algo a vida inteira sem nem mesmo questionar, né!? Por isso, hoje te apresentaremos os inimigos da HP do  café, ou seja, 7 erros cometidos que geralmente afetam muito o sabor da sua bebida ou até mesmo...

Café com açúcar é pecado?

Café com açúcar é pecado?

INTRODUÇÃOSe você já teve contato com o café especial, provavelmente já viu a frase "aprecie sem açúcar". Realmente dá para aproveitar super bem o café especial sem açúcar, visto que é um café que não foi carbonizado no momento da torra e que vem do fruto maduro! Mas...

QUER MAIS?

Todo cafezeiro quer sempre aprender mais! Então fizemos muito conteúdo para você aproveitar! É só pesquisar abaixo:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0

×